domingo, 14 de outubro de 2012

Depois de um bom professor, o estudante até ganha mais. Veja que um bom professor faz muito a diferença......


Depois de um bom professor, o estudante até ganha mais.

No dia 15 outubro é dia do professor, um profissional que forma os futuros profissionais de nosso País. Felizmente a nossa classe não é reconhecida, ou melhor, valorizada, mas mesmo não sendo reconhecido quanto ao trabalho exercido junto aos discentes, muitos professores esforçam para manter uma qualidade no ensino. Uma vez que a diferença em ser um bom ou ruim professor tem conseqüências grandes na formação do aluno. Então pergunto. Até que ponto um bom professor faz diferença? Dois economistas da Universidade de Havard (Raj Chetty e John Friedman) e um da Universidade de Columbia (Jonah Rockoff) obtiveram dados a respeito de 2 milhões e 500 mil estudantes; os dados incluíram o desempenho dos estudantes em testes padronizados (como ENEM), informações sobre seus professores, seus pais e seus empregadores, e cobriam a vida escolar e profissional desses estudantes a longo de 20anos (1989 a 2009). Depois de aplicar varias técnicas estatísticas aos dados, eis o que os três economistas descobriram:
1- Se o estudante teve bons professores, é mais provável que ele entre numa faculdade qualquer, é mais provável também que ele entre numa boa faculdade, ganhe salários maiores, viva num bairro mais rico, e poupe mais a aposentadoria. É menos provável que ele tenha um filho durante a adolescência. (Bom professor, para os três, significa o professor capaz de fazer o aluno melhorar a nota de um ano para outro em testes padronizados; não importa se o pobre ou rico, está atrasado ou adiantado: ele tem de melhorar.)
2- Quando um professor muda de escola, seus novos alunos passam a tirar notas maiores nos testes padronizados, e seus velhos alunos, notas menores.
3- Ao contrario, quando um mau professor muda de escola, seus novos alunos passam a tirar notas menores, e seus velhos alunos, notas maiores.
4- Se o estudante tem sorte de ter um bom professor, a probabilidade de que ele entre numa faculdade aumenta 0,5pontos porcentuais por ano de convivência com o tal professor. Numa classe de 60 alunos, em que 15 deles entrariam na faculdade não importa o professor, a convivência com o bom professor ao longo de um ano deve colocar 18 desses 60 alunos na faculdade.

Apesar dos resultados, os três economistas não sabem o que aconteceria se o governo usasse as notas dos alunos, em testes padronizados, para premiar bons professores e punir maus professores. Talvez os efeitos sejam ruins: talvez cada professor se concentre ao maximo no teste padronizado, e vire uma espécie de professor de cursinho, capaz de fazer o aluno ir bem no teste, mas incapaz de ajudar o aluno a desenvolver características valiosas e duradouras. Um exemplo: será que um professor de cursinho consegue ensinar o estudante a trabalhar em grupo para resolver problemas que nenhuma pessoa do grupo sabe resolver? 

Um comentário:

  1. Feliz dia do professor a todos os amigos que nunca deixaram de acreditar em sua profisão um grande abraço...

    ResponderExcluir

Google+ Badge