domingo, 29 de julho de 2012

DEUS FEZ E FAZ - Somente Deus não encontra oposição, nem princípio nem fim. Ele fez e fará A PROVA MATEMÁTICA DA EXISTÊNCIA DE DEUS...



A PROVA MATEMÁTICA DA EXISTÊNCIA DE DEUS

    Não existe obra posterior sem uma obra anterior

Acredito que Deus é o criador da matemática. Quando criou o mundo Ele foi extremamente matemático. Não estou cometendo nenhuma heresia em afirmar isso, caso contrário qual seria a explicação para a perfeição e a simetria existente no ser humano? Deus fez a DIVISÃO entre a luz e as trevas, também DIVIDIU a terra da água, MULTIPLICOU as plantas e os frutos e fez outras inúmeras operações, na Bíblia está a confirmação: “Ele abençoou o 7º dia e o consagrou, porque nesse dia repousara de toda a obra da Criação” (Gên 2, 3). Realmente Deus é o criador da matemática afinal como poderíamos duvidar disso, para criar uma coisa tão LINDA, somente DEUS. 
                                       Professor Márcio Viana


 
01 - No mundo de hoje, moderno, ufano, cheio de novas tecnologias, de novas descobertas, cheio de muito dinheiro, muito poderio bélico, tudo isso tem levado o homem a uma falsa ilusão de poder, de capacidade de ser sozinho – a auto-suficiência – prescindindo de algum poder maior. Este falso poder humano é baseado no ter e no ser físico, e tem sido a causa da instalação de um vertiginoso processo de rebeldia, de separação, de um verdadeiro divórcio dos homens com seu Deus, Criador e único Senhor. O homem chega a ponto de achar que ele mesmo pode fazer tudo sozinho, sem necessitar da fortaleza do Altíssimo. Lembro que quando escrevo sobre as coisas de Deus e sobre Ele, não é por afetação de alguma pretensa sabedoria, mas como servo pequeno que tenta apontar os caminhos da verdade aos que anseiam por ela. Embora que defender as coisas Dele me fascina! Com palavras simples! 

 
02 – Agora faço algumas perguntas, que gostaria de ver os leitores respondendo:
1 – Será que estes cientistas e grandes do mundo acham mesmo, do fundo dos seus corações que Deus não existe?
2 – Ou será que dizem isso por um desejo mórbido e cínico de mentir, de enganar?
3 – Ou será que eles sabem mesmo que Deus existe e que Ele de fato É o Criador e mantenedor do equilíbrio de todas as forças da natureza, com tudo o que o Universo contém, mas aliados ao demônio negam isso?
4 – Seria mesmo inteligente uma pessoa que nega um tão assombroso infinito de evidências de que existe de fato um Ser Onipotente, que criou tudo o que existe? Que é o existir?
 
03 - Difícil discernir isso, sem conversar com tais pessoas, para descobrir o que de fato eles pensam a respeito disso tudo. Deus, porém os sonda! Mas começando pela quarta pergunta, eu diria que nenhum deles é de fato inteligente e se o é, por um caminho aberrante de teimosia extrema, de orgulho cego e exacerbado, aliado a um ódio profundo e raivoso que lhes entenebrece de todo as almas, eles sufocam a própria inteligência. Sim, porque para negar a evidência claríssima de um AUTOR, para obras e as perfeições infinitas da matéria, da vida, das forças que regem e dão equilíbrio ao Universo, é mais do que negar-se a si mesmo. É preciso crer na própria mentira, sufocar e brutalizar a consciência e literalmente demolir com a própria razão, e dizer assim: eu não existo! Ou então ser bem pago para mentir! E existe isso! Muito!
 
04 - Ou seja: é mais ou menos assim o que eles dizem: Deus não existe, porque eu decidi que Ele não existe e ponto final! Embora as evidências tonitruantes. Eles afirmam, insistem e teimam tanto e batem tanto na mesma e absurda tecla, que no fim acabam acreditando que criaram uma verdade nova, indiscutível e final. No texto anterior eu afirmei que, quando um homem nega a existência de Deus, a partir dali ele nega a tudo, nega até a si mesmo, pois morre para o Espírito Santo. E se nega a tudo, nega todos os princípios, abole – por sua conta e risco – todas as leis universais, que mantém sob Ordem o infinito dos entes criados, inertes ou semoventes, e a partir dali insanamente ele aceita todo tipo de aberração doutrinária porque se divorcia do Espírito de Deus. Passa então a ser mero joguete de satanás, que o conduz pelo cabresto como besta irracional, que é no fundo, aquilo em que se transformam.
 
05 - São Tomas de Aquino, relaciona cinco provas da existência de Deus:
movimento > casualidade eficiente > contingência > perfeição dos entes > governo do mundo. Mas isso é muito profundo e complicado demais para eu compreender e penso que também para o leitor. E até acho que – embora fosse conduzido pelo Espírito Santo sempre – se o Santo vivesse hoje, teria já novos conceitos ou os exporia de outra forma mais simples, mais clara e fácil de compreender. Até porque as pesquisas científicas, quando voltadas para a verdade, mostram hoje efeitos que nenhuma possibilidade de negação é capaz de derrubar. Sempre há perguntas e antecedentes que ficam sem resposta! Ao negar a evidência de um AUTOR desta obra monumental, eles acabam afundados em teorias remendo, fazendo da verdade própria de hoje, a monumental mentira dogmática de amanhã. De fato, o que os maus cientistas, a soldo de satanás fazem é exatamente isso: dogmatizam a mentira, usando o peso da própria fama.
 
06 - Existem leis pétreas e princípios sábios e imutáveis que provam a necessidade de um Criador. Uma delas diz: não existe obra sem autor! Outra diz: não existe obra posterior, sem uma anterior,
somente Deus não encontra oposição, nem princípio, nem fim! Disse certa vez certo famoso chamado Renné Descartes assim: penso, logo existo! Esta frase rendeu milhares de livros filosóficos, provocou milhares de discussões e foi a alma ruminante de inumeráveis macaquices. Ora, as bestas não pensam, entretanto existem! As pedras não pensam, mas são evidentes. E até os homens impensantes e que sequer um dia na vida entram nestes detalhes, existem!
    
07 - Assim, a primeira prova fundamental da existência de um AUTOR – ao qual nós os cristãos chamamos de Deus Pai, o Criador – é a evidência do ser. Nós os racionais, que existimos, podemos perceber pelos sentidos – embora falhos – que existimos, e que ao nosso redor existe um infinito, composto de matéria diversa, de seres vivos inumeráveis, que formam juntos, um complexo harmonioso, tremendo e fascinante. Vejo tudo isso com os meus olhos! Posso sentir pelo tato! Percebo pelo olfato e pelo paladar! Ouço os sons que produzem, e somente o conjunto dos cinco sentidos humanos, tão perfeitamente dispostos e interdependentes, provam que isso seria impossível sem alguém anterior, que desejasse que fosse assim, que tudo existisse. Sem alguém que o arquitetasse e desse a forma, e medida, e peso, e cor e vida, nada existiria. Isso a inteligência mínima pode facilmente discernir.
 
08 – E tal nos leva à segunda prova inequívoca e indiscutível, a da anterioridade do ser. Antes de discutir a existência das coisas e dos seres vivos é preciso ter em conta a matéria de que eles são formados. Para eu construir uma casa, preciso antes de materiais. As pedras, o barro, as tintas, o cimento, o ferro, a madeira, vieram antes da casa. De onde veio isso tudo? E não somente isso: quem dispôs esta diversidade tão interdependente, que permite ser moldada e trabalhada e disposta em obras? A madeira vem de um longo processo de surgimento, que reúne água e minerais, transformando tudo numa arquitetura fantástica e gloriosa, jamais imitada pelo homem. Isso não nasceu de si mesmo! Que princípio maravilhoso é este que faz tudo isso elevar-se desde as profundezas do solo, gota a gota, até alturas de mais de 100 metros, sem uma bomba que a tudo impulsione? Isso tudo dependeu de um projeto, uma vontade, sem o qual jamais haveria a perfeição. Esta anterioridade caminha então, segura e firmemente, até esbarrar em Deus, Ele o Princípio e o Fim de tudo.
 
09 - Da mesma forma com as matérias mortas, as rochas compostas de mais de 100 tipos diferentes de elementos, formam não somente uma evidência, mas exigem uma resposta de verdade. E sem uma força de vontade, sem um projeto de perfeição, sem um executor de capacidade, nada disse aconteceria. E desde o volume infinito destes materiais, e das coisas, visíveis e invisíveis que compõem o Universo, até o retorno ao primeiro átomo criado, caminhamos sempre na busca de um Criador: alguém fez isso! Alguém projetou e executou toda esta obra, tal como nós projetamos e executamos obras. De onde veio então tanta coisa, se do nada, nada se cria? Isso nos leva sem dúvida a Aquele que é – como Deus Se auto-definiu a Moisés no Sinai – um Ser Perfeitíssimo, Onipotente, Onisciente e Onipresente, de Quem não existe anterior, pois Ele é, desde sempre. E a uma ordem sua – faça-se – tudo acontece em perfeição! E a esta conclusão não se chega por uma solução escapista ou simplista, mas por uma evidência claríssima: para haver um big-bang tinha de haver matéria antes! E tinha de haver uma força descomunal, capaz de concentrar a matéria. E havia! Deus!
 
10 - Deste infinito de coisas criadas, surge a terceira prova da existência de Deus, que poderíamos definir como a diversidade interdependente! Tal como o primeiro átomo necessitaria de um segundo para criar uma molécula, assim cada um dos elementos de que o Universo é composto necessitaria de um projetista minucioso, que não somente desse a existência a toda a matéria, mas que tornasse cada uma impossível, sem a anterior. Um Universo formado de apenas hidrogênio seria invisível, embora pudesse ser existente! Se formado de apenas oxigênio igualmente. Mas se unindo duas partes de hidrogênio com uma de oxigênio, temos aí um ser quase vivo que é a água, sem a qual a vida seria impossível. Um depende do outro! 

 
11 - A própria arquitetura de cada átomo que o Criador usou para formar tudo o que existe é algo espetacular. Isso porque, mesmo que achemos que a matéria é morta, no fundo nada é morto, mas vive, pulsa, dança, canta e se revolve num infinito de perfeições continuadas, eis o Espírito de Deus que a tudo permeia. O átomo – e cada um dos átomos que compõem toda a matéria visível e invisível – não é uma partícula estática, mas sim composta de um núcleo, um moderador que se chama próton, e uma capa exterior onde giram, alucinadamente, os elétrons. Assim, um átomo do gás hidrogênio – um inflamável – tem apenas um elétron girando na capa, enquanto o ouro – que tanto fascina o homem – tem 79 elétrons, que giram bilhões de vezes por segundo ao redor no núcleo, dispostos em sete camadas, e isso sem se esbarrar. E assim continuamente, infinitamente, sem consumir energia. Ou seja: todo átomo é no fundo um ente vivo, pois pulsa embora preso dentro de si! E mais que isso, sem uma fonte de energia exterior que o faça mover-se, o que, sem Deus – O Inexplicável – o tornaria matematicamente impossível.
 
12 - Ou seja: afirmar que esta perfeição monumental é obra do acaso fortuito, e mesmo que o surgimento desta diversidade espantosa seja fruto de um acidente explosivo inicial, é como dar um tiro na própria cabeça e gritar: enlouqueci! Ou ter que aceitar – depois de haver de fato entendido este mistério – que tal pessoa, que aceita este absurdo, tem sido um asno, desculpem o termo degradante que uso. O fato é que tudo isso está disposto perfeitamente moldado, em cima de espantosas posições matemáticas, todas elas milimetricamente dispostas e ordenadas, as quais podem ser provadas através de cálculos e fórmulas. E se algo é então, possível de ser provado matematicamente, e se sucede com perfeição e repetição está aqui a prova segura de que isso é fruto de um Autor e não de um acaso, é obra de um Projetista Universal, ao qual nós chamamos Deus Pai, Criador. Temos aqui então a quarta prova de que, sem um Deus, Autor de Tudo, nada existiria: a prova matemática! Sim, pelo cálculo matemático é possível provar que o acaso fortuito é impossível, e, portanto um Criador obrigatório! Desde um fio de capim, até a perfeição inaudita de um ser humano, tudo obedece a um cálculo matemático exato. Nada é por acaso, nada é aleatório!
 
13 - Seguindo nossos raciocínios, e baseados nas quatro primeiras provas, é possível ir a uma quinta, que no fundo é parte inerente de todas as coisas, que se movem com vida, ou que apenas pulsam internamente. Falo da manutenção continuada! Ora, se eu construo uma casa, e a deixo ao sabor dos elementos, ou uma ponte, uma estrada, sem fazer qualquer tipo de manutenção, logo a ação dos elementos a irão destruir, ou remodelar, até eliminar todos os vestígios de sua existência. Nada se cria, nada se perde, tudo o que existe se transforma, disse o cientista Lovoisier. Ora, imaginem todo um Universo, largado ao sabor do acaso fortuito, sem ordem única, sem manutenção constante, sem vigilância eterna e atenta! O resultado seria um tremendo caos.
 
14 - De fato, sem a vigilância eterna Daquele que É, e faz, sem sua manutenção, calibragem, dosagem, disposição ambiental e distribuição tudo se desagregaria num instante, ou seja, simplesmente, num átimo, desapareceria como se nunca tivesse existido. Eis porque dizemos que Deus está em toda parte, e necessariamente seu Espírito mantenedor permeia tudo, embora nada daquilo que é visível seja Ele. Quer dizer: o Espírito do nosso Deus Onipresente está em tudo e vigia tudo, mantém tudo em ordem perfeita, tanto no micro mundo dos átomos – e de cada átomo – como no macro cosmos, dispondo os astros em seus cursos, dentro de cada tamanho e função, regendo a tudo como uma sinfonia magistral. Sem esta presença – sem este SER, de Deus – nada existiria, nem Ele mesmo. E isso leva a uma conclusão irrefutável: tudo existe, porque Deus existe! Mas ainda não é tudo, tem mais! 
 
15 - De fato, tudo o que existe, desde o átomo mais diminuto – e todos os que compõem o Universo – até os mais gigantescos bólidos que povoam o infinito, tudo pulsa, vibra, existe e se perpetua em sincronia e simbiose com o Criador, que não esquece, nem por uma centelha de segundo de nem uma só partícula, quanto mais de suas criaturas vivas, no topo infinito da cadeia, o homem, a quem tem por filho. Porque bastaria que o Criador dela esquecesse, ou não a mantivesse amorosamente, ela desaparecia. Tudo é, pois, criado e mantido latente e pulsante por Deus, num assombroso e misterioso projeto do ser, do qual apenas arranhamos em alguns conhecimentos. Tudo é bem dosado, bem distribuído, para cumprir um efeito e uma missão, nem um só grão de pó é desnecessário, ou inútil.
 
16 - Chegamos então a outra prova segura da existência de Deus, a qual eu chamaria de distribuição eqüitativa. Poderíamos também definir isso como o equilíbrio perfeito entre toda a criação. Nada demais, nem de menos! Por esta realidade, percebemos que tudo o que existe é disposto pelo Criador em quantidades perfeitas, para montar cada ambiente e cumprir sua função necessária. Por esta genial realidade, Deus não só dispôs os minerais, como criou o meio ambiente propício a cada criatura, e o povoou exatamente com o tipo de criatura adaptável a aquele meio, para que ali vivesse, crescesse e se multiplicasse. Pouca comida, poucos animais, comida farta, mais animais. Excessos levam às doenças dizimantes, ou ao aumento dos inimigos naturais.  Neste contexto, tanto é preciso controlar e manter em vida, e manter cada ambiente, como manter tudo em equilíbrio continuado, segundo a segundo. Assim, as espécies não surgem por acaso em qualquer ambiente, mas são postas ali, depois do ambiente preparado. De fato, Deus fez exterminar os dinossauros, para dar lugar ao homem, que sem armas como as de hoje, jamais sobreviveria naquele meio hostil.
 
17 - De fato, não fosse isso, e não havendo isso, os desequilíbrios provocariam tamanhos desastres que as espécies se dizimariam e se exterminariam em pouco tempo. Porque bastaria uma seca prolongada, ou chuva, ou frio, ou calor em demasia, para que uma ou mais espécies animais desaparecessem. Deus fez tudo isso perfeito e deixou ao cargo do homem manter e dominar, entretanto a gananciosa criatura tem tudo feito para dilapidar, destruir, matar, consumir em demasia e exterminar o que lhe vem pela frente, numa fúria insana e assassina. Mesmo assim, não fosse a manutenção constante e diuturna de Deus sobre a criação, a ação maléfica e predatória do homem acabaria por comprometer a própria vida na terra, tamanha a nossa insanidade. Deus fez perfeito, o homem destrói!
 
18 - Assim, chegamos a outra prova da existência e da necessidade de um Deus Criador, artífice e mantenedor de tudo o que existe, a que chamo de perfeição invisível. Por este quesito de extrema importância é possível demolir com a tese maligna de Darwin, da seleção natural e da evolução das espécies. Eu de fato não consigo expor tudo isso num artigo de apenas seis páginas, e por isso tenho de ser preciso.
Em primeiro lugar, qualquer cérebro pensante que tenha estudado a espiral da vida, o código genético, sabe que as mutações das espécies são literalmente impossíveis. Primeiro porque o Criador que fez bilhões de seres não Se repete, e quem cria bilhões de diferentes vidas, não precisa de mutações para dar vida nova a novas criaturas. Para fazer nenhum homem igual, desde Adão até hoje, deus faz uso de apenas 24 pares de cromossomos - e o 24º é defeituoso, este é obra do acaso, pois produz a sindrome de dawn e doenças genéticas raras - portanto 23 pares, quando teria 64 a disposição. Assim, cada espécie, cada raça, cada família, tem suas qualidades e variantes, mas uma vez posta em linha é imutável, e isso não se discute. Ela tem uma ordem imutável dentro de si, embora esteja nas mãos do Criador a possibilidade de alterar tudo o que quiser.
 
19 - Por qual motivo o gambá, nosso fedido caçador das noites, permaneceu imutável durante milhares de milênios, e justamente o homem, o mais perfeito dos seres criados precisaria evoluir de um símio? Toda mutação eventual, sempre causa alguma distorção para o mal, e para pior. Somente a aberração – fruto do pecado – surge do acaso! O acaso – se houvesse espaço para ele na criação – sempre causaria seres piores, mais degenerados, imperfeitos, e candidatos à extinção, jamais evoluindo para a perfeição. Como eles levantam a possibilidade de que, justo o homem um dos últimos seres a habitar o planeta tenha evoluído para milhares de anos luz à frente do gambá, que já existia milhões de anos antes de nós? E se o homem evoluiu tanto, por qual motivo não gambá, que sendo anterior, deveria hoje estar voando pelos céus, ter perdido o rabo e acabado com sua catinga? Ou se tornado tão grande e tão inteligente, que poderia dominar sobre todos! Por que não fez isso? E o macaco por que não fez?
 
20 - A seleção natural dos mais aptos é mentirosa quando quer significar mutação, ou um aperfeiçoamento por força de um ente vivo. A perfeição já está impressa no código genético e não prevê mudança de raça, família, espécie seja qual for a classificação dos seres vivos. Naturalmente, porém, os seres vivos se acasalam selecionando-se entre si, porque cumprem um caminho de perfeição já traçado para sua natureza. Por uma ordem natural, já impressa na cadeia da vida, os homens escolhem mulheres bonitas. As mulheres escolhem homens bonitos. O resultado é que a cada dia a raça humana fica mais bonita. E assim fazem os pavões, os micos, os gnus e os pelicanos. Outros escolhem pela força como os leões, outros pela resistência como as abelhas. E Deus já os fez, os primeiros, prontos e acabados, de cada espécie, machos e fêmeas.
 
21 - Mas nenhum deles caminha para uma pretensa evolução, jamais mutação, somente para o fim já posto em sua genética, impresso firmemente em sua natureza. Não existe a possibilidade, de que um animal mude-se em outro, menos ainda por desejo seu. Se houvesse a possibilidade de o homem evoluir do macaco, se eles se cruzassem entre si sairiam novos seres, mesmo que híbridos. Mas morreriam ali, pois híbridos são estéreis, ou imperfeitos. Não são fruto da perfeição do Criador, e casos raros. Nenhum ente vivo tem poder interior próprio, ou capacidade, ou meio de alterar as suas características, seja por efeito de meio, de número, de risco, porque de certa forma é escravo perpétuo da própria gênese. A cadeia da vida o mantém imutável!
 
22 - Ora, o Criador Infinito, nosso Deus Altíssimo e Onipotente, já colocou na ordem genética, milhões de possibilidades a mais do que as levantadas pelos que decifraram o DNA. O que os cientistas fizeram foi apenas definir a ordem direta, mas nunca – e jamais o conseguirão fazer – definir as ordens combinadas e associadas. Porque é ali que entra a perfeição invisível do Criador, que pode fazer com que os seres vivos se adaptem a novos ambientes, sem grandes choques. Digamos que venha uma nova idade do gelo; ora as espécies vivas que o Criador quer preservar, já trazem em si a ordem interna, na cadeia do DNA, esta condição de adaptabilidade. Não é então que sofrem mutações aleatórias, apenas fazem uso da perfeição criadora continuada. De fato, a criação é um processo contínuo e lento, em ordem definida e beleza, porque busca aproximar-se daquele que é a Beleza Infinita. Cada ser vivo tem na ordem interna os princípios que o formam, mantém, orientam e perpetuam.
 
23 - Uma coisa deve ficar bem definida e reforçada, derrubando qualquer outra hipótese: o acaso, jamais gera a perfeição!Issoposto é preciso examinar e ter em conta a quantidade quase infinita de diferentes seres vivos, diferentes, todos perfeitamente adaptados, e seguindo passos imutáveis. Não existe mutação, existe perfeição! Não existe evolução, e sim continuidade criadora. Cada espécie é formada por um conjunto de seres únicos, todos com diferenças mínimas, caminhando uma trajetória multimilenar sem sofrer saltos ou avanços, cada um apenas sendo o que é, nascendo, vivendo e morrendo. Não existe, pois, a possibilidade de que macaco mude em gente, ou vice e versa, pois cada um deles é um ser único e perfeito em sua função. 
 
24 - Noutro dia um repórter da TV Globo disse que a espiral da vida, o código genético que armazena no interior de cada ser os dados necessários á reprodução vital,
é um trilhão de vezes mais perfeito do que o melhor chip de computador jamais inventado. Bem, aqui está a diferença entre o que os homens já entenderam, e aquilo que falta ainda, para que possam expulsar o Criador do processo do existir de tudo: o caminho que falta percorrer é de um trilhão de distâncias, adiante daquela já percorrida. E isso nos leva a não seguir adiante, mas a voltar atrás nos passos dados pelo caminho da humildade e da verdade, fixando-nos apenas no homem, para meditar um pouco!
 
25 – Vejam que temos sete provas claras, todas ligadas e interdependentes, de que somente pela aceitação da existência de um Deus, Infinito, Eterno, começo e fim de tudo, que tudo pode e para Quem nada é impossível, que tudo sabe, e para o Qual nada é oculto e que está presente em tudo, mesmo no vácuo. São eles, repetindo para gravar
> a evidencia do ser > a anterioridade do ser > a diversidade interdependente > a comprovação matemática > a manutenção continuada > a distribuição eqüitativa > e a perfeição invisível. Tudo isso nega o acaso, e forma uma cadeia, nova espiral, que permite a existência de tudo, especialmente da vida, mais que tudo, da vida humana. Porque, de fato, a terra foi criada para o homem, pela força do Amor que cria e como presente a um ser insensível, que ao invés de cantar hinos eternos de louvor, geme a cantilena da morte, querendo afastar-se do Criador, negando a Sua Existência.
 
26 – Enfim, querido leitor, sei que não teremos cientistas lendo este texto singelo, apenas os humildes. Mas penso que ele servirá para você ter ainda mais consciência e mais garra para defender as coisas de Deus, e não se deixar envolver por correntes torpes de pensamento que o querem levar a perdição e a pretensas evoluções. Olhe agora para você mesmo, para seu corpo, observe o seu funcionamento, as maravilhas que ele contém. Nada existe de mais belo, mais perfeito, mais bem acabado, mais deleitoso ao olhar. Tudo porque ele foi feito por um Deus, à imagem e semelhança de Dele mesmo, para em lugar Dele e com Ele dominar sobre todas as coisas daqui.
 
27 – Não somente olhe para a beleza exterior, mas para a funcionalidade e perfeição. O Cérebro humano é mais complexo e mais perfeito do que todo o universo. Desde o dia de sua concepção e até sua morte, tudo, absolutamente tudo, fica gravado em alguma parte de sua memória, sem deletar-se. É através dele que você descobre a perfeição infinita da magnífica obra do Criador, e através dele pode conhecer da existência do próprio Maestro que a tudo rege em sincronia, é para isso exatamente que o recebeu. Deus o cumulou de inteligência, não para negá-lo, mas sim para buscá-lo, e com Ele caminhar a via da perfeição, do crescimento em graça, vida e santidade. Quem O nega, ou nega Suas obras monumentais, O esbofeteia cruelmente. Porque faz-se maior que Ele, quando a sabedoria manda buscar a Deus, somente na humildade.
 
28 – Observe as suas mãos, nada existe no universo de mais versátil. Nada existe bolado por uma perfeita inteligência que uma mão humana não o execute. Não existe outro ser vivo e físico no planeta que tenha tal versatilidade. Observe a disposição de cada órgão de seu corpo, boca, olhos, nariz, ouvidos, braços pernas, órgão sexuais, para ficar nos exteriores, qual deles seria possível mudar de lugar para ficar melhor? De onde uma pessoa inteligente poderá sacar a hipótese de que o projeto de um corpo humano tenha surgido de um acaso, por força de uma mutação, e tudo partindo de um ser peludo e mil vezes inferior? Só quem decidiu que Deus não existe é que faz isso. Mas como falei, este é tão brutalmente teimoso que nega até a si mesmo, e aceita teu por ancestral um mico, peludo e rabudo.
 
29 – Observem os órgãos internos do homem. Não existe no Universo nenhum ser que tenha um estômago mais bem adaptado do que o ser humano. Tudo, absolutamente tudo o que pode servir de alimento, este estômago aceita e transforma em energia. Isso porque o Criador disse lá na gênese: tudo isso vos dou por alimento! Todo este corpo, com tudo o que ele contém, é monitorado, ativado, dirigido e mantido vivo, por um complexo sistema de comunicação interna, seja através de impulsos elétricos, ou de fluídos derramados na corrente sanguínea, que regulam todo o sistema, a maioria deles sem a vontade exterior, mas fruto da perfeição do Criador, que nada esqueceu, nada deixou sem função, nada em falta nem em excesso. O corpo humano é formado de infinitas perfeições, tal que jamais o homem comum penetrará em seu todo.
 
30 – Resta falar agora do mais importante no homem: falo do Espírito de Deus, o sopro que gera a alma, e que liga esta criatura ao Criador, e a torna imortal. Este sopro inefável é o Amor, essência do próprio Deus, capaz de transformar o mundo, e sem o qual nada existiria. O Universo existe, porque existe o Amor de Deus, Ele é o Amor em plenitude. E é o Amor maior deste Deus, que nos adota por filhos, eis que gerados na carne e sujeitos a Lei, mas passíveis de elevar-se até próximos da divindade, embora ainda um infinito entre ambos. Somente o homem, entre todas as criaturas de carne, tem esta prerrogativa. Usemos dela, para Amar, Amar, Amar a Deus criador sobre todas as coisas. Com este amor transformaremos o Universo! E virá uma Nova Terra, o reino do Amor infinito. Você quer isso? Creia então: Deus fez, e o fará!


Um comentário:

  1. joelma vasconcelos2 de agosto de 2012 16:42

    Ele foi meu professor tbm e confesso aprendi muito com ele,lembro bem de uma prova que fiz
    com ele e tirei uma nota baixa e ele pegou
    no meu pé ...rsrs... e eu estudei muito e na
    segunda tentativa eu peguei um 10,parabéns
    pelo professor que vc é, ah... e parabéns tbm
    pelo blog,achei muito interessante...

    ResponderExcluir

Google+ Badge